segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Liberdade de Expressão

Não posso mais olhar para os lados sem ter alguém pra apontar-me um dos dedos.
Não posso mais caminhar sem que alguém me diga o quão torto é o meu andar.
Não posso mais dizer o que penso.
Não posso mais pensar que estou certo.
Se sou seguro, sou inflexível.
Se sou transparente, sou inconveniente.
Se sou introspectivo, sou antipático.
Se sou extrovertido, sou exibido.
Se sou flexível, sou manipulável.
O tempo todo as pessoas tentam rotular.
Parece que sempre temos poucas opções para tantos rótulos.
Tenho que andar de cabeça baixa. Tenho medo de ofender alguém. Tenho medo do que as pessoas podem pensar quando digo algo.
Elas vão tentar me rotular e em seguida me foder.
Elas estão me rotulando neste momento. Querem me foder!
É melhor que eu me censure antes que o façam por mim.
Melhor não dizer o que penso.
As pessoas estão prestes a destruir a maior ferramenta social já criada.
Em pouco tempo, destruirão a liberdade de se expressar e em breve, a expressão em si. Em seguida, a interação humana.
Todos terão medo de serem ouvidos. Todos serão oprimidos e opressores.
Criaremos uma casta de criaturas que não conseguem ser contrariadas, do mesmo tipo que se ofende com ideias aversivas.
Eu só quero estar morto quando estes opressores oprimíveis estiverem no comando e com a razão.
Não suportaria a ideia de um vilão inconsciente no poder.
Eu só espero que, pelo menos até lá, vocês deixem eu me expressar como eu bem entender.
Seja certo ou errado, de cara ou chapado.
Deixa eu falar, filho da pxtx!

- Lágrimas de Gasolina