domingo, 23 de novembro de 2014

Blocos

Talvez qualquer dia, eu encontre de novo.
Talvez qualquer dia, eu consiga trazer de volta aquilo que te trouxe para mim.
Eu fiquei confuso, sozinho. Ela apareceu, surgiu como o vento, empurrou algumas coisas e foi embora.
Eu tenho a estrutura forte. Tenho um muro emocional dentro de mim.
Ando pensando muito em tudo o que aconteceu, tudo o que fiz de errado. Revisei tudo, de ponta à ponta, e nada.
Não encontrei uma falha minha se quer.
Mas quem sabe? Quem sabe o problema não seja eu? Será que no começo ela não reparou no problema que estava adquirindo?
Será que demorou tanto tempo assim, inversamente proporcional ao meu apego?
Algumas vezes se passaram. Ela disse que não queria mais.
Foi embora.
Deixou uma magoa e uma ferida. Uma tristeza e um vazio.
A maior injustiça foi que eu nem ao menos soube o porque. Não deu satisfação, e nem devia.
Eu sei que essas coisas acontecem com todos o tempo todo. Todo mundo já teve uma decepção aqui e ali.
Mas eu não tenho medo do que está por vir. O meu medo provem de assuntos muito mais pessoais.
Sinto que estou perdendo a capacidade de amar.
Estou me transformando cada vez mais naquilo que um dia eu jurei combater. Estou me transformando em um monstro sentimental, um devorador de emoções.
Não sinto mais vontade de ter alguém, não sinto mais vontade de agradar, não sinto mais vontade de amar.
Eu só quero à mim, só quero o eu. Pensar em mim, sempre.
Não sou um merda de um egoísta, mas sim, fruto de decepções.
E quando eu disse que era formado em rejeição. Eu não havia mentido. Eu não minto.
Hoje, não sou mais formado em rejeição.
Hoje, sou mestre e tenho pós em reciprocidade. Meu material de trabalho são cimento e tijolos.
Semearei bondade e colherei afeto.
Caminharei com quem caminha comigo. Lutarei por quem luta por mim.
Amarei quem me ama e destruirei quem quiser me destruir,
Minha alma está acinzentada como um tufo de algodão usado.
Não permitirei que nenhuma outra pessoa a escureça mais, não terão chance, pois não a darei.
É apenas mais um bloco no muro.
Apenas mais um bloco.

- Lágrimas de Gasolina