sábado, 23 de novembro de 2013

Voar

Aquele bando de pré adultos uniformizados
Desgraçados
Andei pelos corredores e vi todos eles amontoados.
Filhos da puta
Gostaria de criar asas metálicas, giléticas.
Passar e cortar todos aqueles pescoços.
Desgraçados, saiam  do meu caminho
Morram
Sangrem pelos corredores e deslizem em vossos sangues.
Corri
Se assustaram
Mais um louco atrasado para alguma aula
Gritei
Morram
Tais asas apareceram em minha costas
Cortei tuas têmporas e vossos braços
Corri por todo o corredor
Fiz que o sangue deles jorrassem pelas paredes
Sangrem filhos das putas
Fodam-se tuas famílias e os teus velórios
Sangro-os e não dou a minima
Filhos de papai e patrícias.
Vão tomar no cu, desgraçadas.
Agora morram
O sinal bate, o sangue escorre
Bato nas paredes, as asas somem
O sangue desaparece
A porra das asas estão dentro de mim
E eu estou dentro delas
Que sangrem como os desgraçados ingratos que são
Fodam-se vossas famílias
Estou atrasado para a porcaria da aula de Ética.

- Lágrimas de Gasolina