domingo, 13 de outubro de 2013

Gritar é para os fracos

Dou a volta na casa e urro aos quatro cantos da rosa dos ventos.
A vida não é como ensinaram nos livros.
As pessoas não são boas.
A podridão corrompe cada gota do sangue dos corpos desses filhos das putas.

No inicio eu não estava preparado, foi um choque.
Um choque de realidades, a ilusão aprendida nos livros e os punhos desferidos em minha face.
Malditos, malditos.

Urro mais uma vez, desta vez estou no telhado. O vento escorre pelas minhas orelhas e cabelos.
Filhos das putas.
Urro outra vez. O céu se parte. A realidade se parte. O tempo para.

As crianças choram. Os fracos gritam e os inconsoláveis urram.
Urrem para a realidade. Urrem para aqueles que fazem dela um pesadelo.
Seja inconsolável, serre teus punhos, soque-os no estomago, pise no teu sangue e Urre.

Urre como um bárbaro, como um pesadelo, como o inferno. Seja o inferno e o demônio encarnado. Transforme o transformista, transforme o transformista em cinzas.
Faça-os provar do próprio remédio.
E quando conseguir, não grite, gritar é para os fracos.
Urre.
- Lágrimas de Gasolina
http://vidi.deviantart.com/art/scream-11721165