quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Rotina

Sabe, eu nunca andei de ônibus.
Nunca vi tantas pessoas andando pela rua.
Vejo um mendigo jogado no frio. Vejo uma briga no meio dos carros.
Uma matilha de cães de rua tomam conta do asfalto, ouço uma batida oca sob meus pés.
Olho para trás e vejo um dos cães deitados no chão.
Talvez alguém devesse falar algumas coisa, é talvez alguém devesse.

Por que ninguém diz nada? Parecem tão apáticos perante o caos que chega aos meus olhos pela janela.

Sera que apenas eu assisto de verdade o que acontece lá fora? Será que eles não vêem? Sera que eles não sofrem?
Será que um dia me tornarei um ser humano tão cansado da vida que vou simplesmente ignorar os problemas alheios e apenas remoer os meus?
Será que me tornarei um escravo apático do sistema, que vai olhar para um mendigo de rua e cuspir na tua palma carente?

O ônibus para. Segunda-feira.
Eu tenho a semana toda para descobrir.

"Ou o resto da vida."
Uma voz rouca. Ouço um tiro.

Este é o terceiro suicídio este mês.
- Lágrimas de Gasolina no ônibus 3.85