sábado, 8 de junho de 2013

Operação

Estava dando inicio a mais um procedimento complicado.

Diagnostico?
Tumor no fígado.

Me aproximei do rapaz sedado, silencioso.

A instrumentadora preparava as ferramentas para a cirurgia.

Coloquei minhas luvas. Hora de começar o procedimento.

Respirava com dificuldade através da máscara. Apanhei o bisturi.

Comecei o procedimento. Aproximei o bisturi do seu abdome.

O rapaz gemeu. Como? Ele estava inteiramente inconsciente.

Recuei o bisturi, com medo. Um pequeno volume se acumulava no centro da barriga do rapaz.

Gritei assustado pela enfermeira e disse para chamar por ajuda, algo estava querendo sair do corpo do rapaz.

A enfermeira saiu, me deixando à sós com o rapaz.

Uma lamina perfurou o abdome do rapaz. Era um bisturi. Em seguida vi dedos seguidos por uma palma.

Um homem saia de dentro do rapaz. Outro cirurgião.

Uma mascara de coloração clara tapava a boca do medico.

Ele retirou a mascara. Era o mesmo rapaz. Meu deus.

Ele operando ele mesmo? Como pode ser? Que? Loucura.

Jogou a mascara no chão e disse:

“Fique calmo, doutor. Estou operando. A melhor das operações são aquelas que fazemos em nós mesmos.”

A enfermeira abriu a porta, com força. O rapaz abriu os olhos e se levantou. Sua barriga estava cicatrizada.

“Nossa, doutor. Me sinto bem melhor.”

Que porra acabou de acontecer aqui?

- Lágrimas de Gasolina