terça-feira, 25 de junho de 2013

Brilhar

O brilho dos olhos brilha mais que o brilho da faca.
Mas o mundo não brilha. Não mais.
Lusco-fusco, lusco-fusco.
Seu caminhar abafado, e a faca a tilintar.
Lusco-fusco, lusco-fusco.
De repente um sorriso a brilhar, e as estrelas opacas.
O mundo vive, e o opaco brilha. Não mais, não mais.
Lusco-fusco, lusco-fusco.
Sangue brilha a escorrer, e o mundo não vive, jamais.
Meu sangue ou sangue dele?
Lusco-fusco à brilhar.
- Dedos Azuis