quarta-feira, 29 de maio de 2013

V.

Os dias se seguiam sempre da mesma maneira
Ele segura sua mão sob a mesa
Ninguém pode ver, ninguém pode ver
E nunca passaria de um dar de mãos
Ela só queria saber o porque
Talvez se tivesse falado ainda estaria vivo
Talvez o amor não tivesse se transformado em ódio
Talvez seu sangue não dominasse o salão
Talvez não tivesse sentido a dor
Talvez ainda segurasse sua mão
Mas ele ainda segura sua mão
Os dias se seguiam sempre da mesma maneira
Ele segura sua mão, não apenas sob a mesa
Ninguém pode ver, ninguém pode ver

- Dama da Noite