quinta-feira, 16 de maio de 2013

Subindo


Entrei no elevador. O jovem senhor jazia com o braço estendido, segurando a porta aberta.

- Estou esperando um amigo – Explicou-me. Assenti com a cabeça e sorri.

Ele recolheu o braço e me fitou. Abriu um amarelado sorriso.

- Olá, amigo.

Continuou me fitando. Sorri de volta.

- Qual andar, amigo?

-Quarto, por favor.

Ele fez um lento movimento e apertou o botão do vigésimo andar. Voltou o olhar para mim e sorriu com entusiasmo.  Sorri também.

A música do fundo preenchia o ambiente.

- Esta ouvindo este tic-tac? – Perguntou-me.

Foi quando percebi que sua panturrilha esquerda recheava a calça de maneira disforme do convencional. Olhei para ele. Sorri, e acrescentei:

- Está frio, não é mesmo?

- Por enquanto, por enquanto.

Trocamos olhares e sorrisos. Típicas conversas de elevadores.

- Dedos Azuis