sexta-feira, 18 de setembro de 2015

A Falsa Aceitação

O que é pior, fazer o errado de forma consciente ou ter a ilusão de que o que se está fazendo é o correto? A negligência ou a ignorância?
Provavelmente, diríamos que a negligência é a pior das duas, pois o praticante carrega consigo a consciência e a desonra assumida pela atitude tomada e, justamente por ter esta consciência, ele deve ser duplamente punido. O indivíduo é assumidamente errado.
Porém eu lhes afirmo, sem sombras de dúvidas, que o pior é aquele que erra sem saber da natureza do erro, que afirma sem fundamento, que atira antes de perguntar, uma variante do chamado 'Idiota com Iniciativa', o ignorante; pois funciona como uma doença altamente contagiosa e quase impossível de ser destruída quando se encontra no seu ultimo estágio: A falsa aceitação.
A falsa aceitação é tão perigosa socialmente quanto uma bomba atômica a é para a humanidade, devido aos falsos valores que o indivíduo assume quando se depara com um grupo que pensa exatamente como ele; um grupo que não questiona, que não discute outros ideais e onde as outras linhas de pensamento não são bem-vindas.
O problema começa quando os próprios meios de comunicação ou até mesmo as pessoas passam a desarmar os meios de discussão.
Se todas as armas, como a denúncia, a expressão e a liberdade; forem censuradas, como poderemos dar voz às outras linhas de pensamento?
Será que a maioria é mesmo composta por aqueles que carregam a razão? E se não podemos dar voz àqueles que pensam de forma diferente, será que não estamos monopolizando as ideias e nos privando de possíveis verdades não ouvidas?

E afinal, se não posso ouvir ninguém gritando o quanto eu estou errado, provavelmente eu esteja certo, não é mesmo?

Não, às vezes as pessoas não gritam porque elas simplesmente não podem.


- Lágrimas de Gasolina