quarta-feira, 4 de março de 2015

Onze

Hoje faz onze anos.

Nesses aniversários esperamos uma lembrança, uma flor que seja.

Hoje faz onze anos
E creio que ela nem mesmo reparou em mim

O quarto é escuro, a poltrona fica no canto

Hoje faz onze anos e ela não sabe que observo-a

Ela entrou de mãos dadas com outro homem
E deitou ao seu lado na cama

Gostaria de ter um cigarro, cara

Hoje faz onze anos
É a vadia está transando com outro

Onze, que maldito número 
Tão romântico e tão pútrido
Onze anos
Onze traições
Onze mulheres
Onze assassinatos
E uma, não onze, mas apenas uma mísera fração digitada de onze
Uma amaldiçoou-me

Onze vezes puta

E estou aqui
Comemorando meu aniversário de falecimento há onze anos

Hoje faz onze anos


E o sexo durou pouco mais de onze segundos

- Dedos Azuis