quarta-feira, 28 de outubro de 2015

Desabafo à Sociedade

"Formou Deus o homem, e o pôs num paraíso de delícias; tornou a formá-lo a sociedade, e o pôs num inferno de tolices." (Viagens na minha terra - Almeida Garrett).
O fato de que o homem vê o mundo por meio de sua cultura e considera seu modo de vida como mais correto, nada mais é do que etnocentrismo, o grande responsável por conflitos sociais na maioria das vezes.
Em nossa sociedade, a “indústria cultural” (mídia) frequentemente nos fornece exemplos de etnocentrismo, mostrando o modelo de vida mais “correto” e estabelecendo um padrão que você “deve” seguir, se quiser ser aceito. Isso acaba manipulando muitas pessoas que tentam se encaixar nesse padrão e, muitas vezes, deixam de ser e crer em seus próprios costumes.
“Rotulamos e aplicamos estereótipos através dos quais nos guiamos para o confronto cotidiano com a diferença.”
Esse julgamento a priori serve como um carimbo. Uma vez “carimbada”, a pessoa jamais será avaliada pelas suas qualidades individuais, apenas pelo seu rótulo. Infelizmente isso acontece praticamente o tempo todo.
Tem muita gente tatuada por aí com muito mais conhecimento letrado e valores éticos do que aquele cara “bonitinho e engravatado” que você acabara de contratar. Poucos enxergam isso, poucos vão além das aparências. Muitos julgam sem antes conhecer, simplesmente por ser mais fácil estereotipar, com a sua visão etnocêntrica de “meu modo de vida é certo, o seu não”.  Acontece que...  Não existe certo e errado! Existem diferenças culturais, pontos de vista diferentes. O ideal seria que todos respeitassem os diferentes modos de vida, seria considerar o mundo do ponto de vista do outro, tentar entender, deixar de tomar sua própria cultura como medida para julgar o outro, ou seja, relativizar.
Só espero que ninguém deixe de viver como quer, por medo dos julgamentos da sociedade. Todos nós temos o direito à liberdade de expressão. Pare para pensar se você vive para si ou se vive para a sociedade. Você prefere viver no padrão ou viver feliz consigo? Se você morrer hoje, vai estar satisfeito com quem foi? Reveja seus conceitos.

- Clara Brunetti