domingo, 22 de junho de 2014

Abra seus olhos

Dorme...
Dorme...
Dorme...
Dorme...
Dorme...
Dorme...
Dorme...
Dorme...

Agora você acorda!

E vê que só tem aquela ramela grudando.
Seus olhos gordos de porco, cheios de lavagem.
Daquelas coisas imundas que você vê, ou que finge que não vê, no seu cotidiano mesquinho e insignificante.
Vivendo como um animal preso num curral, jogado na merda oferecida pelo sistema, que impõe regras e métodos, só nos engordando para esperar o dia do abate.

Boa noite, sai da ilusão

Abra seus olhos

- Cósmos